domingo, 3 de julho de 2011

ESTATÍSTICAS NO FUTSAL: Dados que fazem a diferença

Na última década em virtude da expansão tecnológica, o esporte em geral começou a receber uma atenção maior, no caso especifico do futsal, vários jogos televisionados com diversas câmeras posicionadas em torno da quadra, os profissionais começaram a assistir e gravar os jogos dos adversários e naturalmente surgiram diversos dados e estatísticas interessantes, que podem nortear o trabalho de uma equipe ou até mesmo mapear as qualidades e defeitos apresentados pelos sistemas de jogo. Hoje além de termos um profissional responsável apenas pela parte de edição de imagem (Raphael Roel), o qual filma todos os nossos jogos e também dos adversários, realizamos também em tempo real as estatísticas individuais e coletivas de nossa equipe em todas as partidas, através dessa coleta possuímos um banco de dados amplo com informações detalhadas de todos os fundamentos.

Nos jogos as pessoas sempre me perguntam quais as informações coletadas e qual o objetivo, na verdade os “scouts” nome dado aos programas de estatísticas são bem específicos e no caso o preparador físico precisa estar preparado para realizar mudanças de acordo com a necessidade da equipe e/ou do treinador. Meu controle é totalmente flexível, em 2007 criei planilhas que agilizam e possibilita à anotação das informações necessárias, com o passar dos anos essas planilhas sofreram adaptações e ajustes para suprir a necessidade da equipe.
Um ótimo exemplo sobre a necessidade de flexibilidade eu vivencie na transição do futsal russo para o brasileiro, na Rússia o treinador utilizava apenas dois dados, desarmes e chutes, no entanto ele solicitava que eu mapeasse a localidade na quadra aonde eram executadas essas ações, já quando cheguei ao Corinthians precisei voltar a realizar um Scout mais complexo e que oferece uma infinidade de informações, então hoje verificamos os seguintes fundamentos e ações:

PASSES: divididos em certos e errados, sendo computados todos os passes errados ou interceptados e no caso dos acertos apenas os passes em evolução do ataque, desconsiderando passes simples e laterais, claro que precisamos ser críticos e avaliar que um passe lateral ou de retorno pode ser sim considerado um passe certo de acordo com a ocasião, um exemplo clássico é um passe do pivô quando recebe uma dobra de marcação. Além da quantidade calculamos também a somatório total dos passes e a porcentagem de acertos individual e coletivamente.
DESARMES: divididos em dois grupos, ofensivos e defensivos, sendo a metade da quadra o parâmetro de referência, além da soma total computamos também a média de desarmes por minuto jogado, dividindo o tempo que cada atleta jogou pela quantidade de desarmes realizados, afinal o atleta que joga mais tempo tem mais chances de realizar desarmes.Importante definir o conceito de desarmes, alguns profissionais contabilizam apenas a roubada de bola, no entanto nós classificamos como desarme qualquer interrupção do ataque adversário, por exemplo, um carrinho para travar um chute, afinal se não houvesse essa ação a bola iria para o gol então precisamos valorizar essa ação e postura defensiva. CHUTES: são anotados os chutes para o gol e também para fora, analisando a quantidade total e também o percentual de acerto, descartados os chutes travados ou interceptados em sua execução.
TEMPO JOGADO E POSSE DE BOLA: controlamos todas as substituições para sabermos qual foi o tempo exato jogado por cada atleta e ainda conto com a ajuda de nosso fisiologista (David Cardoso) para cronometrar a posse de bola de nossa equipe durante toda a partida.

Além dessas informações ainda conseguimos marcar dados básicos como quantidade de faltas que são divididas em ofensivas, defensivas e sofridas, cartões amarelas e/ou vermelhos, gols e assistências, Importante evidenciar que sempre fazemos a divisão por períodos para sabermos e compararmos como foi o desempenho do primeiro para o segundo tempo. O principal objetivo desse texto é esclarecer diversas dúvidas sobre as informações coletadas nos jogos de futsal e principalmente valorizar a importância dessas informações, pois, através delas conseguimos detectar quais as características individuais e coletivas e principalmente ter valores reais quando precisamos exemplificar algum fundamento ou situação executado por nossa equipe.

3 comentários:

  1. thiago_303@hotmail.com20 de fevereiro de 2012 09:16

    Boa tarde Mauro Sandri, meu nome é Thiago e estou cursando o 7° semestre de Educação Física e trabalho nas categorias de base do S. E. Elite Itaquerense. Quero fazer meu tcc com o seguinte tema: Estabelecer relações entre posse de bola e distancia percorrida pelos jogadores em uma partida de futsal. Gostaria de saber se existe a possibilidade de calcular a distância percorrida pelos jogadores em uma partida de futsal? meu e-mail é thiago_303@hotmail.com , desde ja agradeço!!!

    ResponderExcluir
  2. muito bom o artigo vai me ajudar muita a fazer as estatísticas dos meus times. só esperava encontrar alguma tabela dando exemplo, mas ta de boa ;)

    ResponderExcluir
  3. obrigado foi util pra enaltecer como contruir uma tabela tecnica para o meu team de futsal

    ResponderExcluir